Além da amizade

Olha. Desvia. Olha de novo. Desvia para outro sentido. Ela apenas gostaria de entender o que se passa na cabeça dele. Tem consciência de que ela é apenas uma pessoa para se passar o tempo, nada sério. Bem que ela não gostaria que fosse assim. Por essa razão começa a não dar mais moral. Prefere acabar com qualquer joguinho agora mesmo antes que cometa algo pelo qual se arrependa mais tarde.
Quando não tem ninguém perto, ele a trata como o centro do universo, onde tudo se direciona para ela. E ela? Fica iludida, tadinha. Quando outras meninas se aproximam, ele a deixa de lado. Ela começa a se perguntar se é da natureza dele, ou ele faz de propósito. Ela não sabe o que fazer, porque o que ela quer é a atenção dele. Então surgem outros meninos, e sem perceber ela se aproxima deles. Só que se trata de algo involuntário, onde ela começa a se divertir naquele meio, e deixa de lado um pouco aquele garoto. Ocorre que um dia, ela comenta sobre outros meninos que existem em sua vida. Nada de segundas intenções, simplesmente amizades que ela construiu fora daquele meio. Na pura inocência. Só que não para ele. Ele então começa a maliciar as coisas, e falar de outras meninas. Ele fala alto para que ela o escute, ela finge não ligar, mais por dentro se questiona até onde existe verdade naquilo.
Depois daquele dia, as coisas mudaram para os dois. O que ela pensou ser uma possível "amizade colorida", se torna algo mais distante até mesmo de amizade, apenas conhecidos. Aquela aproximação repentina se torna algo distante que só eles tem consciência. Eles só trocam simples palavras agora, "oi" e "tchau", talvez apenas essas por simples "obrigação". Ela pensa estar feliz com aquela situação agora, afinal, não quer se apaixonar, não agora. Mas no fundo, ela se entriste-se pois gostaria que algo entre eles ocorre-se. Algo além da amizade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário