Contradições nas recordações

Perdida em pensamentos. Perdida em um ano que eu pensei que gostaria de voltar. A cada dia que passa, descubro que está melhor agora do que antes. Viver de um passado que não foi perfeito, mais que só me recordo das coisas boas. Voltar é sempre uma opção ruim, afinal já passou. Nem todos olham da mesma forma, mais só das recordações ruins que me lembro agora. Posso parecer arrogante, mais meu orgulho não me permite regressar. Não tenho coragem de começar de novo, logo agora que a construção de um caráter ou até mesmo de uma nova vida está pela metade. Tudo sempre foi pela metade.
Pensei que tinha vontade de voltar, você pensou que não. Estamos agora em uma enrascada. Presos em um labirinto que nós mesmos construímos. Literalmente. Talvez esse seja o motivo deste paradoxo. Apegados a tantas recordações que nos fazem voltar. As recordações estão lá, mais nós não estamos. Elas ficaram apenas na memória, não significa que voltando elas sejam revividas. Somos outros, crescemos (mesmo sem sabermos), e temos expectativas de vida distintas daquela época. Eu tentado continuar, você tentando voltar. Temos que entrar em um acordo.
E foi assim que aquela menina parou de se interrogar, após ela colocar tudo por escrito, mesmo sabendo que ninguém leria e entenderia o real sentido daquilo. Só ela sabia como ela se sentia, mais ninguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário