Meu jeito.


Sabe, eu cheguei a conclusão que não sou normal. Mas isso não é ruim, porque pessoas normais são cansativas e monótonas. 
Eu discuto comigo mesma mentalmente, tem um lado meu que manda eu fazer o que é errado e outro que manda eu fazer o que é certo. Faço perguntas, e me respondo mentalmente. Dou respostas irônicas quando estou estressada, para qualquer coisa que me perguntem. 
Crio piadas, e começo a rir sozinha. Crio teorias sobre as coisas que só faz sentido pra mim. Escuto músicas que só eu gosto. 
Escrevo textos que ninguém entende. Talvez meus sentimentos sejam tão confusos que ninguém consiga entende-los. 
Tenho manias estranhas, e pensamentos que agradeço pelas pessoas não poderem saber o que estou pensando. Começo a rir do nada, ou as vezes do rosto das pessoas. 
Gosto de ler livros de qualquer gênero, e filmes só de comédia. Não gosto de assistir filmes nem escutar músicas que vão me deixar triste. Quando estou triste gosto de escutar músicas animadas, ou ficar perto da minha mãe, porque ela me anima. 
Gosto de pessoas engraçadas. De longe pareço séria, mas de perto você percebe que não sou tão séria assim. Quando estou com meus amigos minha idade mental diminui. 
Minhas histórias não são normais, e os finais são estranhos. Afinal não existe um final bom, porque finais são sempre finais. 

C. (@IsaCristtynna)

ultimapagiina

Nenhum comentário:

Postar um comentário