Mais uma manhã qualquer de inverno.


Mais uma manhã como qualquer outra. Ela estava deitada em sua cama, quente, macia e com a menor vontade de levantar e fazer suas atividades. Fazia bastante frio, e até nevava, pela janela ela podia assistir os pedacinhos de neve caindo do céu, em todas as direções. Eles formavam um tapete de neve no chão. Até parecia que era Natal. 
Depois de tanto enrolar deitada na cama sem vontade de levantar, juntou todas as suas forças e saiu da cama, parecendo um presente de natal, toda embrulhada com cobertas. Deitou no sofá e ligou a televisão, enquanto sua mãe terminava de arrumar a mesa do café da manhã, seu pai estava sentado na poltrona lendo o jornal, e seu irmão dormindo. 
Uma noticia chamou a atenção de todos que estavam na sala, a repórter estava dizendo que naquele dia, tudo ficaria fechado, as lojas não iriam abrir, e as pessoas não iriam precisar ir trabalhar, porque a neve estava dificultando a passagem dos carros nas ruas. Naquele dia seu pai passou a tarde toda em casa, seu irmão passou o dia inteiro dormindo, sua mãe ficou arrumando casa, e ela se sentiu sozinha.
Passou a tarde toda deitada em meio a cobertores, tomando chocolate quente, assistindo filme, ou lendo, a preguiça já tinha dominado. Através da janela podia assistir a neve caindo, e crianças brincando na neve. Mas ela estava ali no quarto sozinha, assistindo a filmes, como se já fosse muito velha pra se divertir, e como sempre de sentia sozinha.
E a solidão que a assombrava era só mais um sentimento de inverno que vinha chegando. E sabe aquela solidão que ela sentia, era a mesma solidão que muitas jovens como ela estavam sentindo, porque sempre que o inverno chega aquele sentimento vinha junto como se fosse um parente indesejado que ia a todo lugar com o seu primo. 
Ao contrario de muitas meninas que naquele momento desejam estar com seu amor, para se aquecer naquele inverno tão rigoroso, ela só queria estar com seus amigos que tinham viajado nas férias, e estar lá fora brincado na neve, fazendo anjinhos deitada no chão, ou jogando bolas de neve em seus amigos e fazer o tão sonhado boneco de neve. Era só aquilo que ela desejava. 

Este texto faz parte da tag "De Quinze em quinze" do blog depoisdosquinze.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário